Plantas no inverno: manual de sobrevivência ao frio

0
2574

Agora que o frio chegou, que o sol está menos brilhante e que os dias são bem mais pequenos, as suas flores e plantas no inverno necessitam de cuidados especiais.

Chegaram os dias pequenos. O sol brilha timidamente. A cada momento, entra menos luz pelas suas janelas. É a “tristeza” do Inverno a bater à porta. E a alegria de ver florescer plantas e flores que dão outra côr à sua casa, parecem querer esmorecer com a estação.

Inverno… frio… luz difusa… não são necessariamente “males necessários” para o seu jardim caseiro. O segredo está em saber doseá-los. Está também nalguns cuidados especiais que deve conhecer.

Antes de mais, fique a saber que o mês de Novembro é um mês muito particular para as plantas. Significa um certo período de adaptação a uma nova vida. É o mês em que correm os primeiros dias menos longos e também menos quentes.

Por isso mesmo, é preciso ter em conta que deve regar o seu jardim com água tépida e sempre antes da hora do almoço: assim, ficará certa de que, ao cair do dia, elas estarão secas.

Já que a luz é cada vez menos, coloque as plantas de cores muito marcadas em locais onde possam receber o máximo de luz possível. Garante, assim, que as cores continuam vivas. Evite também os chamados “choques térmicos”: não obrigue as suas plantas a suportar temperaturas demasiado frias ou demasiado quentes.

Mantenha em posição estável as flores que têm botões e as plantas no inverno: assim, garante que eles continuam no lugar e não caiem.

Dezembro é o mês do Natal. Toda a família tem direito ao seu presente. As plantas também. E, para isso, nada melhor do que uma prenda feita a pensar nelas. E que tal um espelho? Sim… um espelho é um ótimo “truque” para manter vivas as plantas: reflete a luz que chega do exterior, ajudando-as a conservar o melhor dos “rostos”. E até para si é uma recompensa: a sensação de verde refletida através de um espelho é, nada mais nada menos, do que duas vezes maior!

E para que as plantas continuem a florir, não deixe ficar no vaso flores murchas: retire-as de imediato e corte-as de forma adequada a cada tipo (na base do caule, como no caso do antúrio; ou abaixo do cálice).

Quanto às folhas, deve assegurar-se de que estão sempre limpas. Utilize uma esponja para as lavar e um pano suave para eliminar o pó das folhas maiores.

E não esqueça que, agora mais do que nunca, as plantas devem ter a terra sempre húmida: uma boa maneira de garantir que assim é, é deixar o vaso mergulhado em água tépida, durante cerca de trinta minutos, dia sim, dia não. Assim, a água pode penetrar na terra, por meio dos pequenos buracos que existem no fundo do vaso.

E chegamos a Janeiro. Ano novo, vida nova… também para o seu jardim. Os dias começam lentamente a “engordar”. A quantidade de luz é, pouco a pouco, maior. O tempo de “repouso” de muitas plantas aproxima-se do fim. Para estas, é preciso mudá-las de vaso, arranjar-lhes nova “base”. É também hora de começar a podar e a fechar os cortes mais grossos. Para isso, utilize cera em pequenas quantidades.

Janeiro é o mês em que deve cortar toda a vegetação supérflua. É também nesta altura que deve ministrar fertilizantes hormonais nas plantas verdes. Os fetos exigem que lhes corte as hastes mais velhas. É o momento ideal para plantar sementes de frutos ou bagas de “cerejas de Inverno”.

Fevereiro é o último mês de um longo Inverno. O sol brilha mais alto e é preciso preservar as plantas e as flores da exposição direta à luz alta do “astro-rei”, ao meio-dia. Mas, como a chuva ainda não foi “de férias”, evite mudanças bruscas entre os pingos de água da chuva e o sol cada vez mais forte: não esqueça que nada é pior para as plantas do que o choque térmico.

A sua opinião
[Total: 3 Média: 3.3]