Passo a passo para criar uma horta saudável

1
2804

Ainda há quem tenha a sua pequena horta. Aqui vão algumas dicas para a tornar mais saudável. Há muito que as hortas desaparecem da paisagem urbana. Mas, mesmo assim, há quem continue a guardar um pouco de terreno para plantar alguns legumes.

Para estas pessoas, ou para quem estiver interessado em se iniciar nesta aventura, aqui ficam algumas dicas que lhe vão permitir obter uma horta sã e produtiva, sem qualquer tipo de produtos químicos.

Primeira etapa: uma organização racional do espaço.

A melhor solução é a escolha de canteiros fixos separados por caminhos, a partir dos quais poderá fazer todo o trabalho necessário.

Quais as suas vantagens?

Destacamos algumas. No caso dos legumes, os canteiros fixos facilitam a rotação de culturas, a colocação de barreiras contra as pragas e um melhor aproveitamento do espaço.

Além disso, as ervas daninhas não se desenvolvem tanto. O facto ainda de não se andar a pisar, sistematicamente, o solo (o que o torna compacto), faz com que não seja necessário sachá-lo tantas vezes. Os canteiros devem, então, ter uma superfície tão grande quanto possível, relativamente aos caminhos.

Mas e que cuidados são necessários?

Na altura de preparar os canteiros, deve-se ter em conta a natureza do solo, de maneira a que se tomem algumas medidas fundamentais.

Para solos pouco profundos ou mal drenados, o ideal é construir um canteiro sobrelevado, que permite uma melhor drenagem e maior espaço para as raízes.

Construa-o com a ajuda de rebordos fixos como tábuas velhas, lajes, etc. Depois, cave o solo e adicione matérias orgânicas e terra, em iguais proporções.

Quanto aos solos permeáveis e compactos, estes já pedem que os cavem em profundidade e que lhes adicionem, com a ajuda de uma forquilha, matérias orgânicas.

Os solos médios não exigem muita atenção. Convém, no entanto, eliminar as ervas daninhas e adicionar matérias orgânicas com uma espessura de, pelo menos, 3 cm, misturando-as com a terra.

A partir deste momento, o trabalho fica reduzido a quase nada. Basta sachar uma ou outra vez e adicionar, todos os anos, uma quantidade suficiente de matéria orgânica. Se o espaço de que dispõe não lhe permite fazer grandes canteiros, opte por plantar algumas filas em ziguezague.

Tenha também em consideração, quando estiver a cultivar os legumes, em deixar espaço suficiente para que estes cresçam sem se “encavalitarem” uns nos outros.

Segunda etapa: escolher os legumes.

A seleção do que vai ou não plantar não deve ser feita de forma aleatória. O tipo de solo ou a frequência da rega são alguns dos factores que se devem ter em conta.

Vejamos. Os solos calcários mostram-se muito favoráveis à maioria das espécies de couve – desde que bem regado.

Os espinafres, as beterrabas, o milho doce e as batatas também não ficam atrás. Quanto a estas últimas, é preferível escolher variedades resistentes à sarna.

Como seca rapidamente, não se deve cultivar neste tipo de solo legumes que precisem de muita água (os feijões ou os legumes folhosos, por exemplo).

No que diz respeito aos solos pesados, a maioria dos legumes dá-se bastante bem. Em relação às couves, deve-se evitar que o solo fique demasiado encharcado e compacto.

Cenouras não devem ser cultivadas em solos pedregosos. De resto, e desde que o solo seja constituído maioritariamente por argila, a maioria dos legumes não parece ter qualquer problema.

Quanto à rega.

Existem legumes que só necessitam de água de vez em quando: a couve-flor, as abóboras, as favas ou as ervilhas são disso exemplo.

No entanto, é importante regá-los na altura adequada.

Se a drenagem for um problema, evite os legumes que pedem muita água como os espinafres, a alface e as batatas (temporãs). Brócolos, beterrabas e cebolas dão sempre bons resultados.

Agora escolha. Se o espaço não é muito, sugerimos que escolha legumes mais apreciados como o tomate ou o feijão-rasteiro. E mantenha a horta sempre produtiva, plantando legumes de Inverno.

Outra dica: se tem pouca experiência, prefira variedades mais resistentes. Grande parte do trabalho já está feito. Falta apenas tomar algumas precauções para proteger a sua horta.

Na próxima semana, explicamos-lhe como evitar pragas e doenças e como resolver alguns problemas.

A sua opinião
[Total: 3 Média: 4.3]

1 Comentário

  1. Bom dia

    Precisava de saber onde posso comprar em Lisboa as hortas suspensas.

    Se me poderem informar eu agradeço.

    Obrigado

    Ana Curva

Comments are closed.