Conheça a orientação solar certa para cada planta

0
3650

A orientação solar constitui um dos factores mais importantes para um bom desenvolvimento de uma planta. Algumas precisam de calor e de luz, outras de sombra. Plante o tipo de vegetal de acordo com a exposição do local, se ainda não conhece bem o local familiarize-se primeiro com a orientação do sol do local. Se necessário, utilize uma bússola para melhor se orientar.

A Norte

Trata-se sem dúvida de um exposição mais fresca, já para não dizer a mais fria, entre todas. No Norte, o sol nunca chega a incidir. Coloque aqui as plantas que gostam de sombra (fetos, azáleas…) e evite as plantas que preferem áreas quente e com sol, porque estas não se vão desenvolver como gostaria, com certeza!

A Leste

Trata-se de uma zona onde a exposição ao sol será apenas de manhã (o sol levanta-se a Leste), durante um período de tempo mais ou menos longo segundo os obstáculos (árvores, construções, relevo…). Este tipo de exposição responde ás necessidades dos vegetais que precisam de um mínimo de luz para se desenvolverem mas que não suportam o sol direto.

É o caso dos rododendros e das camélias, a estes o sol da tarde queima-os de um modo severo, enquanto que algumas horas de sol matinal não lhes causa nenhum prejuízo. Evite plantar junto a um muro virado a Leste, aqui as plantas que gostam de muita luz vão florescer muito menos.

A Sul

As inclinações e lugares expostos o sul beneficiam de um período de exposição ao sol maior e suportam temperaturas mais quentes. Consequente mente é também um dos lugares mais secos, porque a chuva raramente vem do sul (excepto em microclimas locais!). Instale neste lugar os vegetais que necessitam de muita luz (árvores de seda, roseiras, lavandas, etc.).

Em contrapartida, evite plantar nestes locais vegetais que prefiram as áreas com sombra. Senão, vai ter uma decepção! Note também que os legumes precisam quase todos de uma boa exposição a sul; em boa lógica, a horta deve portanto ser orientada de modo a beneficiar do máximo de exposição ao sol durante o dia.

O efeito “sul” é reforçado ao pé de um muro, este efeito retorna uma parte do calor e da luz do sol. Em regiões frias, este tipo de lugar será mais favorável aos vegetais friorentos, que beneficiarão de temperaturas mais elevadas durante o inverno. Em regiões quentes, é o lugar mais difícil para conseguir que os seus vegetais cresçam porque o sol é muito quente e seco no verão.

O Oeste

É o lugar ideal para as plantas que precisam bastante de sol e que gostam de humidade. Com efeito, a exposição a oeste recebe muita humidade (existem no entanto microclimas onde a humidade pode vir de uma direção diferente, sobretudo se estivermos perto de uma montanha ou á beira do mar).

As zonas orientadas a oeste beneficiam de uma exposição ao sol equilibrada, mais forte do que o sol da manhã mas menos escaldante do que os lugares situados a sul, que podem ser abrasadores. Existem muitos vegetais que se desenvolvem-se bem nestas condições (hortênsias, fúcsias, gerânios vivazes, etc.).

As folhas púrpuras precisam mais de sol direto do que as folhas douradas. Não é portanto fácil juntar os dois tipos de folhagem!

A orientação solar intermédia

Certo é que raro é o local que é totalmente virado a Sul ou a Leste, o normal é termos situações intermédias (Sudeste, ou Sul Sudeste por exemplo). Tenha em atenção que deverá selecionar as suas plantas tendo em atenção as necessidades da planta e as condições oferecidas no local onde as vai plantar.

A sua opinião
[Total: 1 Média: 4]