Como construir um jardim vertical

0
2123

Actualmente já existem empresas a desenvolver diversos sistemas para execução de paredes verdes (green walls) ou o chamado jardim vertical.

As estratégias podem ser intensivas, semi-intensivas, ou extensivas, conforme as possibilidades financeiras do projecto. Os custos de manutenção, e energéticos, também deverão ser atendidos nesta fase de projecto.

A sociedade parece estar a pagar a factura pela falta de programação atempada quanto ao impacto ambiental resultante do desenvolvimento-progresso, obviamente necessário, mas que se tem traduzido por catástrofes ambientais em sequência de alterações climatéricas adversas.

A escassez de espaços verdes é uma das principais preocupações, pois dela derivam muitas outras problemáticas, a fraca qualidade estética e ambiental das cidades e o aumento das áreas impermeáveis – que leva a cheias repentinas quando há grandes chuvadas – são dois dos mais importantes pontos a ter em conta quando se fala em diminuição dos espaços verdes nas cidades.

As reduzidas dimensões de áreas para espaços verdes, levaram o Homem a recorrer a outras técnicas, para não abdicar da vegetação, quer no jardim privado de uma habitação, quer nos espaços públicos.

Esta preocupação de encontrar alternativas ao jardim ‘tradicional’ vem desde os mais remotos antepassados. Não só como alternativa ao jardim horizontal mas como alternativos tipos de arte.

Um dos primeiros jardins a desafiar a ‘normalidade’ foram os jardins suspensos da Babilónia, criados do Nebuchadnezzar II no séc. VI a.C., uma das sete maravilhas do mundo, e são um dos melhores exemplos de criatividade dos tempos antigos; já nessa altura existia a intenção de impor a botânica e a estética num contexto de transposição da natureza.

Os jardins verticais surgiram como uma alternativa às limitações que temos hoje em dia nas cidades. Estes, são jardins projectados para crescer em superfícies verticais, em edifícios já existentes ou estruturas desenhadas para o efeito.

O jardim vertical tem a característica pouco usual de se desenvolver separado de áreas ajardinadas. É um elemento urbano e arquitectónico.

Esse tipo de jardinagem tende a usar como plantas, espécies epífitas, que requerem poucos nutrientes e uma pequena quantidade de água para se manterem e desenvolverem, pois elas conseguem retirar seus nutrientes até da atmosfera, e devido a sua baixa exigência, e lento crescimento, são ideais para esse tipo de jardim.

Os jardins verticais podem ser montados, em paredes que estejam disponíveis, onde as plantas possam receber alguma luz natural, ou mesmo luz artificial.

Patrick Branc é um dos mais brilhantes artistas referentes a jardins verticais da actualidade, conjuga texturas, densidades e cores como se de uma pintura se tratasse, sendo autor dos mais famosos jardins verticais.

Como construir o jardim vertical

A vegetação tem um importante papel na purificação do ar e na absorção
de poluentes nos ambientes fechados.

Materiais necessários:

a) parede impermeabilizada ao construir ou pode ser pintada com tinta especial emborrachada, para quem vai adaptar uma parede comum ao jardim.

b) Tábua em MDF, ou conglomerado, ou outra madeira, nas medidas da parede, e que será fixada à parede por meio de buchas, e em vários locais para evitar que com a humidade ela venha a se deformar, pela acção do peso da água infiltrada, ou mesmo pela acção de organismos de-compositores da madeira, que com o tempo se instalam e acabam propiciando até que as raízes das plantas possam retirar algum nutriente delas, ao longo do tempo de uso, ou seja acaba virando substrato também.

c) Placas ou estacas de fibra de coco, ou mesmo meio-vasos que ou podem ser cortados ou mesmo adquiridos já nesta forma no comércio.

d) Caso o local seja em interiores onde a água não possa, escorrer pelo chão, decorrentes das regas, é conveniente colocar na parte inferior um colector para essa água em chapa no formato de calha, e com um sistema para que essa água possa ter destino e não acabe sendo um ponto de infiltração de humidade na construção.

e) Montar antes um esquema ou desenho de quais as plantas usadas, e onde elas vão ficar, para facilitar a colocação das placas, estacas, ou meio-vasos. E fixar as mesmas na tábua nos locais pré-escolhidos.

f) E adquirir as plantas

Depois de pronto, as regas podem ser com aspersores manuais para áreas pequenas ou mesmo com mangueira para jardins a cada 3 a 7 dias dependendo da humidade do ar ambiente. E pode, mas não necessariamente, ser incluída na água de rega, adubos solúveis compatíveis com as plantas escolhidas para o seu jardim vertical.

A sua opinião
[Total: 1 Média: 5]